Os destaques noticiosos da semana vivem da “ressaca” de um fim-de-semana com acontecimentos que muitos dificilmente esquecerão. E voltam, à mente da comunicação social e dos portugueses, os famosos 3 F – Fado, Futebol e Fátima – que, durante décadas serviram, de forma fria e muito consciente, como tentativa de alienação de um povo e que, na última semana, colocaram sorrisos na cara de milhões de portugueses e fizeram explodir de entusiasmo as redes sociais.

De repente, e por motivos tão diversos – talvez pouco sérios, dirão alguns, outros que “tudo vale a pena quando a alma não é pequena” -, voltou a ser muito bom ser português.

Em primeiro lugar o Futebol. Como poderia ser diferente quando se fala de um tema que gera paixões e desperta as mais variadas emoções? Na penúltima jornada do campeonato nacional, o Benfica sagra-se campeão e consegue o feito, tão ambicionado pelos seus adeptos, do tetra. De acordo com os comentadores, num jogo do “além”, goleou o Vitória de Guimarães, com um estádio a abarrotar de adeptos fervorosos e definitivamente envolvidos com o seu clube. E, para além de se encher o Marquês, todos se orientam para o futuro e o desafio é já o penta. É disso que se fala. Muitos esperam, outros desesperam.

Em segundo lugar nos destaques noticiosos aparece outro dos F, o de Fátima. A 13 de maio celebrou-se o centenário da aparição de Nossa Senhora aos Pastorinhos, na Cova da Iria. Tal deu direito, nesse dia, à canonização de dois deles e, com a presença viva de Sua Santidade, o Papa, no Santuário de Fátima. É difícil ficar indiferente a este homem. Estive lá e pude testemunhar que crentes e não crentes sensibilizam-se com o seu sorriso fácil, o seu jeito de criança, a ternura no olhar e a linguagem simples que utiliza, para chegar a todos, com temas que, igualmente, a todos dizem algo. Lá, na Cova da Iria chegou a largas centenas de milhar de indivíduos. De resto, chegou a Portugal inteiro pois os portugueses pararam para acompanhar este momento e comoveram-se com ele.

Por último, Salvador Sobral. Não podia ter melhor nome. Salvou a nossa história na participação no Eurofestival da Canção. Não cantou fado mas cantou balada, cantou amor, cantou poema, cantou com alma, cantou em português e, sobretudo, encantou toda a Europa. Com o seu jeito simples, cantou um poema que pretende sublinhar o papel do amor num contexto em que, por vezes, parece piroso falar dele. Fê-lo com mestria, com bom gosto e... ganhou. E Portugal voltou a explodir no sábado à noite.

Perante estes três acontecimentos, os indicadores de desempenho económico, os ataques informáticos globais, Trump e a política americana, Temer e a política brasileira, perdem valor.

Talvez porque precisamos de mais coisas simples que nos encham a alma. Podemos dizer que vivemos uma semana de alma cheia.

 

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. A codificação das notícias é realizada por Rute Oliveira, João Lotra e Sofia Barrocas. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 411 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.