Uma semana após o ataque em Alcochete, à equipa do Sporting, e depois de todos pensarmos que nada mais poderia ultrapassar o interesse dos media, e de todos nós, o Sporting Clube de Portugal consegue 40% dos destaques noticiosos da semana que hoje termina.

Seja pelas várias demissões que ocorreram, nos vários órgãos do clube; seja pela manutenção da direção atual, liderada pelo “enfant terrible” (é o mínimo que lhe podemos chamar) Bruno de Carvalho; as suas mais que muitas e longas conferências de imprensa, daquelas intermináveis e que nos fazem pensar que podemos ter um novo Fidel, desta feita português.

Bruno de Carvalho consegue “ganhar” ao interesse mediático do seu discurso, sim, aquele que tem alimentado dezenas de horas televisivas. Consegue que as televisões generalistas voltem a estúdio para dinamizar o debate face ao aparente vazio, dominado pela repetição e capacidade de atirar de forma frenética em todas as direções, desta personalidade de que muito ainda havemos de falar. Numa semana em que também se falou de eutanásia, é de uma espécie de morte que se fala por Alvalade.

Só o Desportivo das Aves, com sangue, suor e lágrimas, parece ter beneficiado com esta enorme crise. Ganhou, e bem, a final da Taça de Portugal, contra este Sporting desanimado. Mas pouco se fala deles.

Notícias verdadeiramente tristes. A perda de António Arnaut, o pai do Serviço Nacional de Saúde; Júlio Pomar, um dos maiores, se não o maior, pintor português. Finalmente, acordámos no final da semana com a morte de Philip Roth, um dos maiores gigantes da literatura norte-americana. Gigantes sem tempo, que perdurarão no tempo, através das suas marcas.

Também foi nesta semana que mais uma vez se encontrou o guião para uma nova história de amor. Harry e Meghan contraíram matrimónio e fizeram os corações românticos do mundo bater mais forte.

E esta semana entra em vigor o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados. Quantos mails recebeu nos últimos dias??

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. A codificação das notícias é realizada por Sofia Barrocas e Inês Balixa. Apoios: IPPS-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.