Podem os portugueses ter uma atenção bipolar? Ora saltando de Rui Rio para Sylvester Stalone e vice-versa? A resposta é, obviamente, podem. E assim foi esta semana. Os jornais, rádios e televisões centraram mais de um terço dos seus destaques no PSD e, maioritariamente, em Rui Rio enquanto as pesquisas dos portugueses no Google se centravam em saber se Sylvester Stalone havia ou não morrido. No entretanto, Stalone escreveu no Instagram “Vivo e bem e feliz e saudável” e depois completou com “Still punching!” numa alusão ao seu personagem em vários filme o pugilista Rocky Balboa.

Nas notícias o PSD  dominou o destaque jornalístico de forma expressiva. A polémica em torno da Elina Fraga foi noticiada como uma 'derivação' do congresso dando origem a um enunciado distinto na comunicação social, mas que não abafou a centralidade da eleição do novo líder do PSD. Da mesma forma as características dos destaques dados à eleição do líder parlamentar do PSD deram origem a um terceiro tema da semana. No conjunto os três temas relacionados com o PSD representaram 34,6% dos destaques noticiosos analisados esta semana pelo barómetro.

A atenção dada ao tema PSD/Rui Rio centrou-se em dois grandes grupos temáticos: as questões internas do partido e as ocorrências do congresso (74%); a relação com o governo e a possibilidade (ou hipótese) de um bloco central (26%).

Esta é também uma semana atípica para a atenção do jornalismo português, pois já há mais de cinco meses, desde finais de outubro de 2017, que um tema não representava mais de 30% dos destaques noticiosos – o mais próximo que estivemos nestes cinco meses foi a situação vivida pelos nossos vizinhos da Catalunha.

O futebol continuou a ter um forte destaque na comunicação social esta semana e, de algum modo, extravasou as linhas de jogo. Tal, não se ficou a dever às polémicas alimentadas nos programas de comentário desportivo ou pelos directores de comunicação dos clubes mas sim pela acção dos adeptos e dos discursos dos dirigentes. O desporto, e o futebol em particular, são o ponto de contacto entre o que a comunicação social destaca e o que os portugueses pesquisam na Internet. Pelo que não será de estranhar que só o Sporting e as declarações do seu Presidente, Bruno de Carvalho, tenham conseguido interromper, por momentos, o destaque dado pela comunicação social ao congresso do PSD. E, para tal, foi necessário que Bruno de Carvalho tivesse optado por quase mimetizar verbalmente a performance de Rocky Balboa no ringue, só que num combate com a comunicação social e não com um qualquer boxeur da ex-União Soviética.

Esta foi também a semana em que a guerra da Síria regressou aos destaques noticiosos em Portugal pelos ataques do regime de Bashar al-Assad em Ghouta. Na realidade a guerra da Síria nunca tem parado desde há anos a esta data, a nossa atenção é que a esquece. Sendo caso para pensar que se na guerra fria havia filmes com Sylvester Stalone como Rambo para nos lembrar da guerra no Afeganistão também o Rambo poderia voltar para colocar na agenda uma guerra que quase todos fazem por esquecer, mesmo sabendo que o preço do esquecimento será muito caro para todos nós, a começar pelos Sírios que mereciam mais a nossa atenção e o fim rápido do conflito. A alternativa, mais simples, seria ter Rui Rio, Bruno de Carvalho e demais protagonistas políticos e desportivos portugueses a lembrarem a situação na Síria.

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. A codificação das notícias é realizada por Sofia Barrocas e Inês Balixa. Apoios: IPPS-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.