A antiga aliança luso-inglesa – a mais antiga aliança diplomática do mundo – talvez tenha algo a ver com a grande atenção noticiosa para o Reino Unido nestes dias. O eco dos recentes atentados neste país está sobreposto à explosão de comentários em volta das eleições de 8 de junho, ao qual se juntou o fragor do incêndio que, na quarta-feira, deflagrou num prédio de 24 andares em Londres, provocando dezenas de mortes e muitos feridos.

Era um desastre anunciado e evitável, como mostram as repetidas denúncias por parte dos inquilinos sobre as condições e a insegurança do prédio, desconsideradas por parte do senhorio autárquico e das outras autoridades. Mais assustadoras e ameaçadoras do que o terrorismo, as profundas desigualdades sociais, e com efeito habitacionais, do Reino Unido, estão na base deste desastre.

Mas visto de Portugal, o que que este evento nos diz? As desigualdades são altas e não se resolvem por aqui também, enquanto o índice de desenvolvimento humano não é lisonjeiro. A isso junta-se uma situação habitacional descrita como ‘deplorável’ pelo recente relatório da ONU, agravada pela crise, a austeridade e a desregulamentação do mercado imobiliário e do sistema de rendas.

Desastres nacionais também atraíram a atenção mediática, como os afogamentos, os incêndios e os acidentes rodoviários, deslocando o futebol para uma terceira posição não atingida pelas melhores razões, mas sim pelos presumíveis casos de corrução desportiva que envolveram o Benfica. Enfim, este barómetro da semana de Santos Populares parece mais preocupado de que festivo. 

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. A codificação das notícias é realizada por Rute Oliveira, João Lotra e Sofia Barrocas. Apoios: IPPS-IUL, Jornalismo@ISCTE-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 411 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.