O futebol continua a estar no centro da atenção mediática e dos interesses dos portugueses. Não tanto pelo que se passa nos campos, mas sim pelas intrigadas relações entre jogadores, adeptos e administradores. A agressão de maio na Academia do Sporting fez despoletar situações latentes no clube, com um efeito bola de neve que se acelerou esta semana.

A duríssima carta com que Rui Patrício rescindiu o seu contrato com o clube, as polémicas declarações de Bruno Carvalho e Marta Soares, juntamente com as detenções dos adeptos envolvidos no caso de Alcochete são os aspetos mais salientes desta avalanche. 

Se o futebol também domina a segunda posição, as lutas sociais mereceram igualmente um grande destaque, e esta foi sem dúvida uma semana de conflitos intensos e muito generalizados, que envolveu os eixos mais importantes dos serviços públicos: educação, transportes e saúde. Em 100 escolas as avaliações foram bloqueadas; quase 100% dos comboios urbanos de Lisboa e 72% dos do Porto ficaram parados e os trabalhadores da saúde anunciam greve para 15 de junho.  

A um ano das eleições, a base social do governo das esquerdas não parece pacificada, com sinais de descontentamento crescente frente a uma recuperação económica cujos benefícios foram pouco redistribuídos e cujos custos, por exemplo no direito à habitação, caíram mais uma vez sobre os mais fracos. 

Uma avalanche também alastrou às instituições espanholas, passando pela primeira moção de censura vitoriosa na história do país, a qual, levada para frente pelo PSOE, resultou na substituição do governo Rajoy por um novo governo socialista liderado por Pedro Sánchez.

Único evento internacional nas primeiras dez notícias do barómetro, o novo governo anticorrupção e ‘feminista’ espanhol bateu assim, na conquista da atenção mediática portuguesa, o novo governo conservador, anti-imigração e populista italiano, que também foi constituído nesta semana.

 

 

 

Ficha técnica:

O Barómetro de Notícias é desenvolvido pelo Laboratório de Ciências de Comunicação do ISCTE-IUL como produto do Projeto Jornalismo e Sociedade e em associação com o Observatório Europeu de Jornalismo. É coordenado por Gustavo Cardoso, Décio Telo, Miguel Crespo e Ana Pinto Martinho. Apoios: IPPS-IUL, e-TELENEWS MediaMonitor / Marktest 2015, fundações Gulbenkian, FLAD e EDP, Mestrado Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, LUSA e OberCom.

Análise de conteúdo realizada a partir de uma amostra semanal de aproximadamente 413 notícias destacadas diariamente em 17 órgãos de comunicação social generalistas. São analisadas as 4 notícias mais destacadas nas primeiras páginas da Imprensa (CM, PÚBLICO, JN e DN), as 3 primeiras notícias nos noticiários da TSF, RR e Antena 1 das 8 horas, as 4 primeiras notícias nos jornais das 20 horas nas estações de TV generalistas (RTP1, SIC, TVI e CMTV) e as 3 notícias mais destacadas nas páginas online de 6 órgãos de comunicação social generalistas selecionados com base nas audiências de Internet e diversidade editorial (amostra revista anualmente). Em 2016 fazem parte da amostra as páginas de Internet do PÚBLICO, Expresso, Observador, TVI24, SIC Notícias e JN.