O Crédito Agrícola obteve um lucro de 121 milhões de euros em 2008, excedendo em 6,9 por cento os resultados obtidos no exercício anterior, anunciou esta segunda-feira a instituição bancária, escreve a Lusa.

Para esta evolução positiva dos resultados do Grupo contribuiu sobretudo o saldo das comissões, com um crescimento de 15,2 por cento, um acréscimo de 11,5 milhões de euros face a 2007.

A margem financeira teve uma progressão mais ligeira, de 4,2 por cento, para 16,1 milhões de euros «reflexo do actual momento de dificuldades do mercado bancário», justificam os responsáveis do Crédito Agrícola.

Do lado inverso, o resultado de operações financeiras «foi marginalmente negativo, reflexo da situação financeira internacional», refere o comunicado de apresentação de resultados da instituição.

O crédito a clientes cresceu, em termos líquidos, 10,5 por cento, para 7.945 milhões de euros, e os depósitos de clientes aumentaram cerca de 5,0 por cento, para 11.447 milhões de euros.

O activo líquido subiu para 11,4 mil milhões em 2008, mais 8,3 por cento que os 10,6 mil milhões de euros no final de 2007.

O rácio de eficiência do CA situou-se em 55,5 por cento e a rentabilidade do activo caiu ligeiramente, de 1,07 para 1,06.