O Conselho de Defesa do Chile processou as instituições financeiras Banco Chile, Santander, Espírito Santo e PNC (antigo Riggs), nos Estados Unidos, por ocultarem informações de contas secretas que o ex-ditador chileno Augusto Pinochet mantinha no exterior.

Segundo o jornal «El Mercurio», citado pela France Presse, o Conselho não revelou o valor da indemnização que as quatro entidades deverão pagar por terem alegadamente prejudicado o fisco chileno.

As investigações contra Pinochet começaram logo após o Senado norte-americano apresentar um relatório confirmando que o ex-ditador tinha pelo menos seis contas no Banco Riggs de Washington.

Com a morte de Pinochet em Dezembro de 2007, o processo tramitou contra a sua mulher e filho, que são acusados de desviar fundos públicos e causar danos ao património do Estado.

Se os bancos processados não chegarem a um acordo com o Chile, a acção judicial poderá obrigá-los a abrir seus registos para que comprovem que cumpriram com as exigências legais da Office of the Comptroller of the Currency (OCC).