A economia da Ucrânia vai contrair 8 por cento este ano devido ao conflito no leste do país, anunciou hoje o Banco Mundial, que prevê uma degradação da situação ainda maior em 2015.

«As perturbações à atividade económica no leste provocaram uma baixa do Produto Interno Bruto mais acentuada que o esperado», disse Qimiao Fan, diretor do BM para a Ucrânia, Bielorrússia e Moldova, na apresentação do seu mais recente relatório em Kiev.

«Não há uma saída fácil para a atual crise», acrescentou, instando o governo ucraniano a prosseguir com reformas estruturais.

Se essas reformas, que incluem legislação anticorrupção e redução da burocracia, forem concretizadas, o PIB pode crescer 3% em 2016 e 4% em 2017, segundo o banco.

A anterior previsão do Banco Mundial para a Ucrânia, divulgada em junho, estimava que a economia contraísse 5% em 2014.

A principal razão para a degradação da perspetiva assenta no declínio da atividade económica em Donetsk e Lugansk, bastiões dos separatistas pró-russos, e a anexação da Crimeia pela Rússia.

O Fundo Monetário Internacional admitiu em agosto que a Ucrânia pode vir a precisar de um novo empréstimo de 19 mil milhões de dólares (15 mil milhões de euros).