O presidente da Sonangol, Manuel Vicente, garantiu esta quarta-feira que a empresa angolana está de olhos postos no sector da energia, em Portugal, e admitiu mesmo poder vir a entrar neste sector.

«A Sonangol é uma empresa de energia, portanto é possível que venha a entrar em empresas deste sector em Portugal. A energia será sempre uma hipótese para investir», adiantou, apesar de se ter escusado a avançar com nomes como o da EDP ou da EDP Renováveis.

Recorde-se que a Sonangol já é parceira da Galp Energia, já que esta empresa é uma das principais accionistas da Amorim Energia.

À margem da assinatura dos acordos entre Portugal e Angola nos domínios da economia e educação, que decorreu em São Bento, Manuel Vicente disse ainda que se houver oportunidade na banca, também «vamos investir».

Sócrates: banco «vai proteger grandes projectos»

Banco luso-angolano vai ter presidência rotativa

Quanto a um possível reforço da posição no BCP, o presidente da Sonangol apenas disse: «não vamos vender, nem recuar. Vamos manter», sublinhou.

O mesmo responsável assegurou ainda que acredita que «em tempo de crise também se deve crescer».