Legisladores do Chile e da Argentina estão a reunir-se na Antárctida para unirem vozes contra as alegações da Grã-Bretanha acerca do petróleo e do gás nos mares do Sul, escreve a Lusa.

O Chile, a Argentina e a Grã-Bretanha reclamam direitos sobre as mesmas áreas da Antárctida, havendo um tratado internacional segundo o qual qualquer país pode explorar recursos submarinos que se localizem a milhares de milhas do seu território.

Agora, o congressista chileno Renan Fuentealba afirma que os países da América do Sul apoiam um tratado de 1959 que visa a protecção do frágil ambiente dos continentes gelados, estando os encontros para debater a questão a ser realizados nas estações de pesquisa científica da Antárctida.

Os legisladores estiveram esta sexta-feira na estação chilena e têm encontro marcado na base argentina, devendo uma comissão das Nações Unidas pronunciar-se sobre este assunto em Maio.