Personalidade da Semana: secretário-geral da ONU, António Guterres

A semana foi de António Guterres. A eleição do novo secretário-geral da ONU foi o tema mais presente nas notícias de aberturas de jornais, televisões e rádios e Guterres foi, também, a personalidade mais destacada nas redes sociais, criando um efeito de arrasto que elevou também os sentimentos positivos de Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa para máximos não registados, respetivamente, desde agosto e princípios de setembro. Não é assim de estranhar que possamos apelidar o sucedido de “Efeito Guterres” pois o apoio à sua eleição, dado quer pelo Presidente da República quer pelo Primeiro Ministro, criou uma dinâmica que se refletiu também na subida dos sentimentos positivos dos dois políticos.

António Guterres viu, a partir de dia 4 de outubro, o apoio nas redes sociais subir exponencialmente, passando dos 19% registados na semana anterior para os 46%, enquanto os sentimentos negativos, após a confirmação da sua eleição, caíram para metade do valor da semana passada, ficando nos 9%.

Presidente da República

Esta semana o indicador da opinião nas redes sociais ISCTE-IUL mostra Marcelo Rebelo de Sousa subir mais de 18% nos apoios – essencialmente à custa de uma queda dos sentimentos neutros. O Presidente continua a ser político português, em atividade, com menores sentimentos negativos gerados nas redes sociais – só ultrapassado neste barómetro pelo ex-Primeiro Ministro António Guterres. Esta subida deve-se, fundamentalmente, a dois factos ocorridos no dia 5 de Outubro. Por um lado, o apoio dado à eleição de António Guterres e ao seu discurso no aniversário da revolução republicana. No entanto, sempre que o Presidente da República crítica ou toma posições passíveis de serem vistas como contrárias ao governo, como no caso do discurso comemorativo da implantação da República, os sentimentos negativos para consigo aumentam – nesta semana aumentam, novamente 3%, fixando-se nos 12%.

Primeiro-ministro e líder da oposição

Nesta semana António Costa alarga a diferença face a Passos Coelho nos sentimentos positivos (46% vs. 19%) e distancia-se nos sentimentos negativos (24% vs. 65%). António Costa e Passos Coelho, tal como o Presidente da República, veem a sua popularidade aumentar nas redes sociais, fruto do apoio dado a António Guterres. No entanto, o desempenho não se deve apenas à eleição do novo Secretário Geral da ONU. O líder da oposição sobe nas opiniões positivas nas redes sociais à custa de pequenas descidas nos sentimentos neutros e negativos, por via do quase desaparecimento da discussão sobre a apresentação do livro de António José Saraiva. No entanto, não consegue ainda recuperar até máximos positivos passados (34% na semana de 19 a 25 de Agosto) pois os temas continuam a ser-lhe desfavoráveis nas redes sociais.

A semana de Passos Coelho foi de relativa ausência de exposição mediática. Embora o PSD tenha ocupado as notícias, o Líder da oposição não teve grande exposição pública, o que faz com que o seu historial de atuações e posicionamentos ocupe a discussão – como, por exemplo, a sua atuação governativa face à banca e aos impostos. Por sua vez, nesta semana Costa lucra com a negatividade da data de 5 de Outubro para Passos Coelho – uma vez que foi o Líder da oposição que retirou o feriado e o atual governo que o repôs.

Embora a discussão sobre impostos seja, essencialmente, direcionada para a crítica a António Costa, o Primeiro-Ministro consegue um certo equilíbrio face ao tema nas redes sociais, dado que a dimensão negativa associada à acusação de aumento de impostos é contrabalançada pelo apoio obtido quanto ao aumento da carga fiscal para os mais ricos. António Costa, nesta semana, reduz os sentimentos negativos (de 42% para 24%) e aumenta os sentimentos positivos (de 27% para 46%) demonstrando que o “Efeito Guterres” nas redes sociais não favoreceu do mesmo modo todos os políticos e que, no que respeita aos partidos, ser do mesmo partido que o Secretário Geral da ONU favorece também os resultados nas redes sociais.

Ficha técnica:

Neste trabalho foi seguida a metodologia proposta pelo Pew Research na análise de enquadramentos de discussão nas redes sociais através da plataforma de codificação da Crimson-Hexagon. Foram consideradas as redes Twitter, Facebook, Tumblr, Google+ e Blogues. A análise do sentimento considera as categorias ‘positivo’, ‘negativo’, ‘neutro’ ou ‘fora de âmbito’. Informação detalhada sobre o algoritmo pode ser consultada aqui.