Personalidade da Semana – Bob Dylan, Prémio Nobel da Literatura

O compositor e cantor Bob Dylan foi a personalidade da semana nas redes sociais portuguesas e a nível global. A análise do Laboratório de Ciências da Comunicação (LCC) do ISCTE-IUL permitiu verificar que o Twitter, entre o dia 12 e o dia 14 de Outubro, registou mais de um milhão de tweets sobre Bob Dylan, correspondendo a Portugal cerca de 1% do total mundial de mensagens sobre o tema “Prémio Nobel e Bob Dylan”.

A polémica sobre se é lícito ou desejável atribuir o prémio Nobel da literatura a um compositor e músico chegou às redes sociais, blogues e artigos de opinião em Portugal. Uma primeira impressão poderia indiciar que a maioria dos portugueses, que se debruçaram sobre o tema teriam um preconceito contra a atribuição do Nobel a Bob Dylan. No entanto, foram os sentimentos positivos que suplantaram em grande escala os negativos (26% vs. 8%), tendo a maioria apenas partilhado a notícia da atribuição, fazendo com que os sentimentos neutros predominassem nas redes (66%). Quanto às emoções contidas nos tweets elas foram essencialmente de alegria (85%) pelo reconhecimento do prémio à carreira de Bob Dylan, tendo a tristeza, desgosto e revolta representado cerca de 14% das mensagens.

Como escrevia Jonathan Taplin, autor de Outlaw Blues -Adventures in the counter culture wars, sobre Bob Dylan, “não é que a arte seja a causa de reformas políticas, mas é ela que permite abrir a mente colectiva para a psicologia de que a rebelião é salutar”. O prémio Nobel para Bob Dylan abriu também as nossas mentes para a ideia de que é positivo sair das zonas de conforto e, daí, que as redes sociais tenham expressado tanto desconforto como alegria.

Presidente da República

Esta semana o indicador da opinião política nas redes sociais ISCTE-IUL mostra Marcelo Rebelo de Sousa a manter, no geral, os sentimentos positivos de apoio (37%), mas com uma ligeira descida face à semana anterior (3%). A semana nas redes sociais foi para o Presidente da República dominada por dois temas: a eleição de António Guterres para a ONU e a propaganda do Estado Islâmico. Aliás, este último tema foi responsável pelo aumento exponencial de mensagens centradas em Marcelo no dia 11 de Outubro. No entanto, se a eleição de Guterres terá contribuído para manter os sentimentos positivos, já a a condecoração associada às ameaças do Estado Islâmico terá contribuído para o aumento dos sentimentos negativos (7%) e quebra dos positivos e neutros.

Para o Presidente Foi, assim, uma semana repartida entre a actualidade e a redescoberta de um facto já datado de Junho e agora notícia pelo vídeo do Daesh – a condecoração do Rei de Marrocos com a ordem de Sant’Iago da Espada pelo Presidente português.

No entanto, a maior mudança de equilíbrios nas redes sociais entre os três políticos semanalmente analisados pelo LCC reside na perda por Marcelo Rebelo de Sousa da marca de político com menos sentimentos negativos, sendo destronado esta semana por António Costa (6% vs. 19%).

Primeiro Ministro e Líder da oposição

Esta semana António Costa volta a alargar a diferença face a Passos Coelho nos sentimentos positivos (55% vs. 5%) e distancia-se nos sentimentos negativos (6% vs. 51%). No entanto, a semana para Passos Coelho nas redes sociais não foi tão negativa quanto à primeira vista poderia parecer. Embora tendo descido face à semana anterior na apreciação positiva (19% para 5%), consegue diminuir os sentimentos negativos (65% para 51%) e aumentar fortemente os sentimentos neutros para os 44%. Nas redes sociais os temas-chave para o líder da oposição foram esta semana orçamento, banca, Guterres e táxis vs. Uber. Uma análise desses temas nas redes sociais permite aventar a hipótese que, embora os eleitores do PSD se sintam confortáveis em ter alguém que critique o governo e os partidos de suporte parlamentar, tal não chega para aumentar os sentimentos positivos para com a liderança da oposição. De algum modo, similar análise parece ser feita pelo Presidente da República, quando no seu discurso no seminário do Fórum da Competitividade referiu que é importante que a oposição se apresente com “clareza de alternativa de governo”. Por outro lado, nas redes sociais a temática Orçamento de Estado, quando utilizada pelo líder da oposição, provoca quase sempre respostas centradas na política orçamental do anterior governo e nas inconstitucionalidades dos orçamentos anteriores, sendo portanto um bumerangue político.

Porque é que António Costa desce tanto nos sentimentos negativos nas redes sociais esta semana? A pergunta tem uma resposta directa nos temas em que o Primeiro-Ministro é referido, nomeadamente o investimento na China, táxis vs. Uber, Orçamento e Guterres. A ausência de António Costa de Portugal permitiu-lhe proteger-se das polémicas em torno do Orçamento e centrar a semana na angariação do investimento chinês. Por outro lado, o “efeito Guterres” ainda se manifestou e, inesperadamente, a conflitualidade táxis vs. Uber acabou por não ter um efeito tão negativo para a governação, devido à má imagem criada face aos taxistas nas redes sociais. O Primeiro-Ministro termina a semana com uma subida de 9 pontos, atingindo o máximo dos sentimentos positivos (55%), e desce 18% nos sentimentos negativos para um novo mínimo (6%). Portanto, conclui-se que nas semanas de discussão de Orçamento é politicamente aconselhável estar ausente do país em busca de investimento.

Neste trabalho foi seguida a metodologia proposta pelo Pew Research na análise de enquadramentos de discussão nas redes sociais através da plataforma de codificação da Crimson-Hexagon. Foram consideradas as redes Twitter, Facebook, Tumblr, Google+ e Blogues. A análise do sentimento considera as categorias ‘positivo’, ‘negativo’, ‘neutro’ ou ‘fora de âmbito’. Informação detalhada sobre o algoritmo pode ser consultada aqui.