O impasse para evitar descargas de suiniculturas na Ribeira dos Milagres, Leiria, está «a ultrapassar os limites do aceitável», avisou esta terça-feira o ministro do Ambiente, sublinhando que o Governo apenas pode ser «catalisador» para resolver o problema, refere a Lusa.

«São crimes públicos lamentáveis que se arrastam há anos e que são feitos a coberto da noite. Não é um problema de impotência, é uma dificuldade objectiva de fiscalizar quem é o criminoso», afirmou Nunes Correia.

O ministro do Ambiente, que falava após ter sido ouvido na Comissão de Poder Local, Ambiente e Ordenamento do Território na Assembleia da República, sublinhou a necessidade de «intensificar as acções inspectivas, mobilizando a GNR para tentar ver quais são as instalações que estão em condições e quais cumprem ou não a legislação».

«A responsabilidade não é do Governo, é dos poluidores. Essa indústria, como outra qualquer, tem obrigação de tratar dos seus efluentes», disse Nunes Correia.

«Em resultado das inspecções realizadas, cerca de 50, já foram levantadas dezenas de processos de contra-ordenação», acrescentou o ministro.

Segundo o governante, a empresa pública Águas de Portugal está mobilizada para se «integrar na solução, participando na Recilis», uma empresa criada para o saneamento das suiniculturas da região de Leiria.

«Apesar deste impasse que está a ultrapassar os limites do aceitável, estamos convencidos que estamos à beira de encontrar uma solução para o problema e de finalmente lançar a Estação de Tratamento em 2010/2011», disse.