Uma camisa de seda branca, umas calças pretas e um blazer preto. Agora, multiplique por dez camisas de seda brancas, cinco pares de calças pretas e três blazers pretos, também. E, assim, ficou resolvido o dilema matinal de Matilda Kahl nos últimos quatro anos. 

Mas, a monotonia não faz parte da vida desta mulher. Lá porque decidiu levar sempre roupa idêntica para o trabalho, não quer dizer que não mude de trabalho. A diretora de arte trocou a agência de publicidade pelo lugar de diretora criativa da Sony. Matilda Kahl trocou também Nova Iorque pela Suécia, mas resistiu a renovar o guarda-roupa, como conta o Independent. 

Num artigo de opinião na Harpers Bazar, em 2015, Matilda explicou por que decidira usar sempre a mesma indumentária no trabalho. “Precisava de uma solução para a luta matinal” e de não se sentir “em pânico” quando chegava às reuniões, o oposto da descontração dos seus colegas homens.

Matilda terminava o artigo dizendo que, assim, “não só se sentia ótima com aquilo que vestia, como não pensava naquilo que vestia”, dando-lhe liberdade para se concentrar no trabalho.

 

 

Friday bitchez. Let's sit on tables and look stock-photo happy. 🎀 📷 Andrew Slough

A photo posted by Matilda Trille Kahl (@lilltrill) on

 

No último dia de Matilda na agência nova-iorquina, os colegas resolveram usar o uniforme de Matilda e todos vestiram uma camisa branca com umas calças pretas.

A opção de Matilda, arrojada para as mulheres, já é seguida por alguns homens, como o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, e precedido pelo fundador da Apple, Steve Jobs.

Nos homens a tarefa parece simplificada. Um pivot australiano usou o mesmo fato durante um ano e ninguém deu por nada. 

 

🎀🏠

A photo posted by Matilda Trille Kahl (@lilltrill) on