É o último grito da moda no que toca a fatos de Halloween: roupas que imitam as vestes que evitam o contágio com ébola.

Em Portugal costuma dizer-se, no Carnaval, que «ninguém leva a mal», mas, para os locais em que é hábito mascarar no Dia das Bruxas, a venda de fatos que brincam com a recente epidemia de ébola, está a ser mal-encarada por muitos, em particular nas redes sociais.

 

Indiferentes às quase cinco mil mortes já confirmadas pelo vírus e aos dez mil infetados que tentam resistir em África, na Internet vai-se fazendo dinheiro, em sites como «www.halloweencostumes.com» ou «http://www.brandsonsale.com».

O tradicional fato da enfermeira sexy vestida apenas de branco deu lugar a uma nova enfermeira, também sexy, de minissaia, mas com uma máscara de oxigénio.