Kate Middleton não esteve grávida, a bebé nasceu de uma barriga de aluguer ou o parto foi dias antes do anunciado são algumas das teorias avançadas por um jornal russo, na sua edição de domingo.
 

Tudo porque, ao final da tarde de sábado, a Duquesa de Cambridge surgiu bela e formosa em público, com a bebé real ao colo, dez horas depois de ter sido mãe pela segunda vez. E de saltos altos, um pormenor importante para quem não acredita numa recuperação pós-parto de horas.

 
Numa altura em que a imprensa britânica está focada no próximo anúncio real, ou seja, o nome da bebé, alguns tablóides internacionais, além das redes sociais, juntam-se ao diário russo "Komsomolskaya Pravda" na conspiração.
 
E esta publicação pró-Kremlin também escreveu que Kate Middleton colocou a vida da filha em risco expondo-a ao exterior com poucas horas de vida, segundo uma obstetra entrevistada.
 
Para concretizar as teorias, o Komsomolskaya Pravda também falou com mulheres, anónimas e mães, incrédulas com o bom aspeto da princesa.
 

“Se a bebé nasceu de parto natural, certamente que foi há alguns dias”, considerou uma das entrevistadas. “Olhem para o bebé, ela não parece ser recém-nascida, tem pelo menos três dias”, observou outra. “Nenhuma mulher, mesmo auxiliada pelos melhores médicos durante o parto, conseguiria ficar de pé horas depois e deixar o hospital pelo próprio pé”, acrescentou outra “conspiradora”.