Um crocodilo semeou o pânico numa pequena cidade no norte do Zimbabué, bloqueando o acesso ao hospital local. O réptil assentou arraiais à frente do portão principal da unidade hospitalar St. Patrick, em Hwange, e correu com todos os pacientes e funcionários que pretendiam entrar.

O mais curioso, escreve o jornal Chronicle, é que não se sabe ao certo como é que o animal chegou ao hospital, já que a área mais próxima com água fica a dez quilómetros de distância.

O crocodilo espalhou o terror durante duas horas, na terça-feira à noite, antes de ser abatido pelas autoridades.

Fomos informados na terça-feira que o animal tinha sido avistado numa área residencial de Hwange e tivemos de abatê-lo porque era uma ameaça", disse à AFP o porta-voz dos Serviços de Proteção da Fauna, Tinashe Farawo.

 

Em menos de cinco minutos, recebi mais de uma dúzia de telefonemas de residentes completamente em pânico", afirmou ao Chronicle um funcionário local, Themba Tshuma. “No início, pensei que era uma brincadeira porque os crocodilos são encontrados perto da água e não no meio de um subúrbio", acrescentou.

O porta-voz dos Serviços de Proteção da Fauna explicou entretanto que as fortes chuvas que têm assolado o Zimbabué nas últimas semanas causaram vários incidentes semelhantes.

Uma mulher foi fatalmente mordida por um crocodilo, esta quinta-feira, quando atravessava um riacho entre dois bairros da capital Harare e um menino ficou ferido após ser atacado por outro espécime na região de Chiredzi, no sudeste do país, relatou Tinashe Farawo.

"Os ataques de crocodilos são muito comuns durante a estação das chuvas e são fatais para as vítimas na maioria dos casos", rematou o porta-voz.