A cidade de Waterloo inaugurou, esta sexta-feira, uma exposição dedicada à batalha de Waterloo composta com peças de Lego, sendo que, para recriar a última batalha de Napoleão foram necessárias 1,2 milhões de peças. 

Na exposição é possível ver um código civil "Napoleão", o escritório do Imperador, o famoso chapéu armado, o retrato de Napoleão pintado por David ou ainda os lugares simbólicos da batalha de Waterloo, cujo bicentenário será comemorado em 18 de junho.

"Queríamos criar um evento intergeracional. Com estes objetos montados - mobiliário de época, pinturas de Napoleão - os mais jovens podem apropriar-se deste pedaço de história de forma divertida", explicou o curador da exposição, Eric Jousse, à AFP.


Já o vice-presidente de Waterloo,  Yves Vander Cruysen, afirmou que precisavam de "uma exposição para os mais jovens mas que alegrasse os adultos". 

"Complementa de forma ideal os outros eventos, tais como grandes reconstituições para alegrar o bicentenário", reiterou Cruysen.


A peça mais trabalhosa desta exposição foi o Palácio dos  Invalides, em Paris, que abriga o túmulo de Napoleão: demorou mais de 1.000 horas a ser construída, tem 274 mil tijolos, a cúpula mede 2,5 metros de altura e pesa cerca de 500 quilos.

O aspecto histórico e científico - cada obra foi avaliada por especialistas antes de ser montada - misturam-se com um lado lúdico da exposição, que estará aberta até 31 de julho nos antigos estábulos, no centro da cidade.