O nome de um hotspot de wi-fi - considerado, no mínimo, suspeito - fez atrasar em mais de duas  horas um voo da companhia aérea Qantas que ligava as cidades australianas de Melbourne e Perth.

Tudo começou quando uma passageira reparou numa rede wi-fi com o nome de “Mobile Detonation Device” (dispositivo móvel de detonação, na tradução literal) e ficou aterrorizada.

A mulher alertou a tripulação e o piloto do voo QF481 informou os passageiros de que o aparelho não iria levantar voo enquanto o dispositivo de origem não fosse identificado.

De acordo com o jornal The West Australian, ninguém se acusou e os 40 passageiros a bordo estavam tão assustados com o incidente que pediram para abandonar o avião.

Segundo a companhia aérea, não haviam condições de segurança para realizar o voo, que só aterrou em Perth cerca de duas horas mais tarde.