Um britânico filmou-se a si próprio a conduzir vários carros de luxo a uma velocidade superior a 300 quilómetros por hora nas autoestradas inglesas. Agora, vai ter que moderar e muito a velocidade: foi condenado a dois anos de prisão e não pode conduzir durante dez. 

Os crimes ocorreram entre 2012 e 2014. O vídeo de seis minutos divulgado pela polícia de Northamptonshire é uma compilação de vários vídeos onde se vê Shaun Davis, de 42 anos, a atingir velocidades assustadoras em veículos de alta cilindrada, ao mesmo tempo que documentava a viagem e mostrava satisfação pela atitude.




Shaun Davis foi preso por outros motivos, não relacionados com a condução perigosa, segundo o The Telegraph, mas, a análise aos seus telemóveis revelaram estes vídeos. Pode dizer-se que Shaun Davis ofereceu de bandeja à polícia as provas para ser incriminado. 
 

"Depois de examinarmos os telemóveis de Shaun Davis, encontrámos vários vídeos em que ele executava uma condução perigosa, muito acima do limite nacional de velocidade máxima, sem se importar com a segurança de outros condutores, peões ou de si mesmo. Estamos satisfeitos com o resultado, e espero que isso lhe sirva como um elemento dissuasor no futuro", disse o inspector Greg Maides, da East Midlands Special Operations Unit.


Apesar a existência dos vídeos, o condutor declarou-se inocente das 12 acusações de condução perigosa, mas o tribunal deu como provadas quatro das acusações. Shaun Davis foi condenado a 28 meses de prisão e inibido de conduzir por um período de dez anos. 

Tal pai tal filha, Jordan Davis, de 23 anos, também foi apanhada num dos vídeos, a conduzir um carro em excesso de velocidade. Tal como o pai, a jovem vibra com a situação e, a dada altura, brinca dizendo: "Se amanhã não souberem nada de mim é porque estou oficialmente morta". 

Jordan deu notícias e as autoridades também. A filha de Shaun Davis foi condenada a 18 meses de pena suspensa por incitar à condução perigosa e fica dois anos sem poder tocar no volante.