Alex Malarkey tinha seis anos quando um acidente de carro o colocou em coma por dois meses, período em que afirma ter estado no céu e visitado anjos. As supostas memórias dessa experiência transformaram-se em livro escrito por Malarkey com a colaboração do pai.

Cinco anos após a publicação, o autor admitiu ter inventado a história, que foi um êxito em vendas, e enviou uma carta aberta à editora, que retirou o livro do mercado.

«Eu não morri. Eu não fui para o céu», confessa o rapaz, numa carta dirigida à revendedora «LifeWay» e a outras empresas que vendem livros cristãos e materiais religiosos.

«Disse que tinha estado no céu porque achei que isso ia captar atenções», esclareceu.

Malarkey, agora um adolescente, aconselha que todos devem ler a Bíblia, garantindo que  «a Bíblia é a única fonte de verdade. Qualquer coisa escrita pelo homem não pode ser infalível».