Era uma proposta ousada e polémica e precisamente por isso acabou por cair. A ideia era testar a virgindade das alunas do secundário na Indonésia e o objetivo era «proteger as crianças da prostituição e do sexo livre».

A proposta foi apresentada pelo secretário de Educação da cidade de Prabumulih, no sul da ilha de Sumatra, Muhammad Rasyid, mas mediante a repercussão do caso, o secretário acabou por renegar a proposta e alegar que tinha sido mal interpretado.

Mas de acordo com a imprensa local, Muhammad Rasyid tinha afirmado que se a proposta fosse aprovada pelos legisladores da cidade, os testes poderiam começar já em 2014, usando o orçamento municipal.

O projeto original previa que as estudantes entre 16 e 19 anos fossem examinadas todos os anos até se formarem. Já os estudantes do sexo masculino não precisavam de passar pela investigação sobre a sua vida sexual.