Repensando a tradição de mobiliário erótico e para conseguir que a cama perca a exclusividade de «playground sexual», a Balastudio, formada por dois designers mexicanos, Xanath Lemmoglia e Andres Amaya, projetaram peças eróticas ergonómicas que auxiliam na atividade sexual.

«O projeto não está ligado à análise do mercado, o que propomos é reconstruir uma sociedade que aceita o seu erotismo e onde a sexualidade não continua reduzida a um quarto e à experiência de uma cama ou sofá», explica Andres Amaya.

Há vários tipos de peças de mobiliário para a prática de variadas posições durante o sexo. A cadeira «Barbarella», por exemplo, foi projetada para a prática de sexo oral.

As peças da Balastudio já ganharam vários prémios e têm sido exibidas em museus. O interesse dos particulares por este tipo de mobiliário também tem crescido. «As pessoas que compram os nossos móveis compram um manifesto, um discurso, uma escultura e mobiliário para fazer amor», justificou Andres Amaya.

A ideia de mobiliário erótico não é nova. Há exemplos disso a partir do século XIX, peças documentadas por Ramon Ubeda no livro «Sex Desing».



Balastudio, com sede na Cidade do México, começou lançar as peças de mobiliário erótico em, 2003.