O instituto Gustave-Roussy, especialista em tratamentos oncológicos, despejou nos esgotos de Paris, França, 14 mil litros de urina radioativa de pacientes internados para tratamento de radioterapia.

A urina dos doentes deveria ter sido descontaminada, no entanto o vazamento de um dos reservatórios fez com que esta fosse lançada no esgoto, antes de passar pelo processo de descontaminação.

A urina radioativa acabou por percorrer 10 km na rede de esgotos de Paris, antes de ser enviada a uma estação de tratamento.

O instituto alertou a Autoridade de Segurança Nuclear (ASN) assim que deu conta do vazamento, diz a BBC Brasil. A ASN em declarações diz que a urina continha uma concentração de iodo 131 (normalmente utilizado em tratamentos do cancro da tiroide) acima do limite autorizado. «O índice de radioatividade ficou acima dos níveis regulamentares, mas sem registar perigo», acrescentou a responsável pela investigação do incidente.

A ASN informa ainda que já em 2010 o instituto Gustave-Roussy havia registado dois incidentes do mesmo tipo. O hospital comprometeu-se, entretanto, a criar um sistema de fiscalização e gestão dos reservatórios.