A dona de uma funerária em Grahamstown, na África do Sul, ordenou a um dos funcionários que cortasse os pés a um defunto para caber dentro do caixão.



Depois de três anos de segredo, o funcionário denunciou o caso e a dona da funerária foi obrigada a comparecer em tribunal.

De acordo com o funcionário, a proprietária ameaçava os funcionários para manterem silêncio sobre o caso. O homem que foi obrigado a cortar os pés do cadáver não conseguiu viver tranquilamente, afirmando que, durante os três anos em que guardou o segredo, tinha muitos pesadelos.

Segundo a polícia, mais acusações de mutilação dos mortos surgiram na funerária desde que o segredo foi revelado.