Depois de dois anos sem férias e uma vida a desejar ver os tesouros arquitetónicos de Granada, Edward Gamson apanhou um voo da British Airways (BA) para a cidade espanhola, para finalmente cumprir o seu desejo. No entanto, nunca chegou ao destino.

Durante o voo, quando o dentista norte-americano e a sua parceira olharam para o mapa eletrónico no sistema de entretenimento a bordo, notaram que o avião se dirigia para oeste de Londres, o que os levou a ficarem preocupados e a suspeitar que algo não estava correto.

Cerca de nove horas depois, o par estava a 4.000 milhas (cerca de 6 437,376 quilómetros) do destino pretendido, na ilha de Grenada, nas Caraíbas.

Segundo o «The Independent», inicialmente a equipa British Airways a bordo pediu desculpas pelo incidente e prometeu que o casal seria encaminhado para um voo para Granada, mas em vez do prometido, o casal foi obrigado a esperar três dias pelo voo e nunca chegou a Espanha.

Gamson pediu o reembolso do dinheiro à BA, mas a companhia recusou-se a reembolsar os mais de 3300 euros gastos nos bilhetes de primeira classe. O caso está agora entregue aos tribunais norte-americanos.

«Eu sempre tive interesse na arte islâmica, e como tenho uma herança judaica e espanhola, sempre foi um desejo meu ir visitar Granada e Alhambra. Eu referi claramente ao agente de reserva que queria ir para Granada, na Espanha. Por que razão iria eu para Grenada, nas Caraíbas, se o meu voo de regresso aos EUA partia de Lisboa?», disse Gamson ao «The Independent».

Terão sido os agentes de reserva norte-americanos da BA na Flórida que, alegadamente, cometeram o erro. Segundo a denúncia judicial proposta por Gamson, os bilhetes eletrónicos referem-se apenas a «Grenada», sem mostrar o código do aeroporto, o país de destino ou duração do voo, o que, provevelmente, levou a todo o engano.