De acordo com o "Daily Mail", o funcionário, vestindo roupas negras e de cara tapada, dirigiu-se à zona da piscina, enquanto entoava cânticos em árabe.

Os turistas ficaram aterrorizados quando o homem se dirigiu a uma menina com seis anos, fingindo que ia sacar de uma arma que estaria escondida dentro da roupa. De seguida, dirigiu-se para o restaurante do hotel, onde continuou a brincadeira. Ao mesmo tempo, os restantes empregados do hotel, que já sabiam da partida, riam-se ao longe da situação.

"As pessoas não perceberam o que estava a acontecer. Tememos o pior. Quando fomos para a receção eles riram. Vamos processar a agência de viagens, afirmou  Jade, uma das clientes.  

Anne Thomson, responsável pelo departamento jurídico da agência onde Jade comprou a viagem, disse que "é inaceitável ser-se submetido a tal experiência." O hotel não fez comentários.

Este incidente acontece 10 semanas depois de ter ocorrido uma situação semelhante, também num resort turco. Há quatro meses, 38 pessoas morreram num massacre levado a cabo por elementos do Estado Islâmico, numa praia da Tunísia.