Temos uma guerra para lhe mostrar, mas aqui não há tiros. Nem mortos, nem feridos. A não ser que se conte com algumas nódoas negras ocasionais.

É a «guerra do tomate» da cidade chilena de Quillon, onde as munições são 50 toneladas do sumarento fruto.

Esta é uma guerra de grande escala. Estão envolvidos 12 mil «soldados» do tomate. E isto sem contar com os que ficam só a ver.