Os restos mortais de um animal podem ser muito mais do que imagina. Há quem faça arte com os mesmos, e dê vida ao que já estava morto. 

É o caso de Tessa Farmer, que faz esculturas minúsculas com restos de animais mortos, como asas, peles, patas, espinhas ou ossos. Tessa Farmer, de 38 anos, nasceu em Birminghan, e vive e trabalha em Londres.

As obras da britânica são exibidas por todo o mundo e estão incluídas em várias coleções, como: “Saatchi Gallery”, “Londres”, “Coleção de David Roberts”, “Londres e o Museu da Velha e Nova Arte (MONA) ”, na Tasmânia.

Farmer considera que os seus amigos são um grande contributo para as suas obras, e em declarações à BBC contou que criar estas miniaturas, foi uma das formas de superar a depressão.

Eu nunca planeio realmente, as peças que vou realizar, elas fazem parte de uma narrativa sempre em evolução. Quando estou a trabalhar, eu envolvo-me com a “ação”.

Se me rir com a minha obra, é porque não estou no bom caminho, mas se conseguir assustar-me a mim mesma, bem melhor”, disse Tessa, em entrevista a revista Hunger Magazine.

O seu trabalho é surpreendente, ao mesmo tempo que é assustador, mas a curiosidade está no criar o anormal.

A exibição mais recente foi na exposição “Unwelcome Visitors”, no museu Houlburne, em Bath, Inglaterra.