Os chineses estão a usar animais para tentarem prever terramotos. Sismólogos de Nanjing, capital da província de Jiangsu, criaram sete observatórios em zoos e parques de animais da região.

Os sismólogos vão observar o comportamento de milhares de animais, tal como conta a BBC, perante um sinal de terramoto.

Um dos centros de monotorização sísmica está no distrito de Yuhuatai, que é um parque ecológico com duas mil galinhas, 200 porcos e dois quilómetros quadrados de tanques de peixes.

Em todos os parques foram instaladas várias câmaras e, duas vezes por dia, são enviados relatórios com informações sobre o comportamento dos animais, para o departamento da sismologia.


“Os animais, por vezes, ficam stressados antes de um terramoto”, esclarece Zhao Bing, chefe do departamento de sismologia da região de Nanjing.


O cientista, explica ainda que um momento de "estranheza" de uma galinha pode não significar problemas, por isso é que se trata de um estudo com vários grupos de animais, para que possa haver cruzamento de dados.

No jardim zoológico de Hongshan Forest, outro dos centros, um elemento da equipa afirma que um animal pode ser tão eficaz como um especialista em tecnologia, na previsão de um sismo.

“Os pássaros podem ficar ‘nervosos’ – se as caudas abanarem como as de um cão, deve-se ter isso em atenção”, conta à BBC Shen Zhijun.


Há já algum tempo que se pensa que o comportamento dos animais pode dar informações sobre uma atividade sísmica.

Um outro estudo, por exemplo, averiguou mudanças no comportamento de animais selvagens três semanas antes do terramoto de magnitude de 7.0 na escala de Richter, no Peru, em 2011.