Um homem foi condenado a pagar um milhão de dólares, cerca de 830 mil euros, à própria mãe, que exigia muito mais pelos gastos que teve com o filho durante a sua formação universitária.

Aconteceu em Taiwan, onde, segundo a lei, os filhos adultos têm o dever de ajudar os pais quando estes envelhecem, explicou uma correspondente da BBC em Taipé.

Este filho, agora médico dentista, era em 1997 um estudante com muitas despesas. A mãe pagou tudo, mas reservou-se o direito, através de um contrato assinado entre os dois, de receber 60% dos rendimentos mensais do filho, depois da conclusão do curso.

No entanto, por ter apenas 20 anos quando assinou o contrato e por considerar que criar um filho faz parte dos deveres parentais, este homem recusou-se a ressarcir a progenitora. A mulher recorreu aos tribunais e a decisão do Supremo foi-lhe favorável.

Mais fácil foi o cumprimento do contrato com o filho mais velho, que, quando chegou a sua vez de reembolsar a mãe, conseguiu chegar a acordo com ela, pagando-lhe um valor inferior ao estipulado inicialmente.