O ministério da Cultura chinês decidiu esta quinta-feira acabar com os espetáculos de striptease nos funerais, justificando tratar-se de uma «grave ofensa». 
 
Segundo a agência France Presse, a prática estava a tornar-se comum em algumas zonas rurais, de modo a atrair mais público às cerimónias fúnebres.
 
Pelos vistos, a tática e o negócio resultava, já que a agência de notícias cita um exemplo na província de Jiangsu em que um casal de strippers conseguiu atrair 500 pessoas a uma aldeia, despindo peça a peça de roupa até revelarem os órgãos genitais.
 
Um jornal chinês descreve que na província de Hebei, um show de striptease decorria num palco com um ecrã gigante com a imagem do falecido por trás.
 
As mortes vão continuar a acontecer, é a lei da vida, mas a lei da China acabou com o espetáculo da morte.