No seguimento dos problemas que envolvem a anexação da península da Crimeia à Rússia, um grupo de mulheres ucranianas está agora a tentar uma nova abordagem para afetar os «vizinhos».

Segundo a revista «Foreign Policy», um grupo de ucranianas lançaram o movimento «Don't Give it to a Russian» que através da página oficial no Facebook aconselham todas as mulheres do país a «combater o inimigo de qualquer maneira».

A campanha pretende fazer com que as mulheres ucranianas se recusem a ter relações sexuais com homens russos.

Na rede social, as organizadoras vendem uma linha de t-shirts alusivas, criadas pelas mesmas, revertendo a totalidade das receitas para o exército ucraniano.

Esta é uma tática com precedentes longínquos, desde a Grécia Antiga, onde as mulheres se uniam até que os homens parassem de lutar. Nos tempos mais modernos, há relatos de campanhas semelhantes no Quênia e na Libéria.

Dias após o lançamento de «Don't Give it to a Russian», as organizadoras conseguiram criar impacto no país vizinho, que acabaram por responder, tendo alguns bloggers russos chamado as ucranianas de prostitutas.