Um ex-delegado de informação médica é acusado de ter roubado cerca de 257 mil euros de pele humana do hospital Mercy de Filadélfia, avança a «Sky News».

De acordo com as autoridades, Gary Dudek usou o seu estatuto de gerente de contas do departamento de biociências para fazer compras de excertos de pele não autorizados.

Dudek, de 54 anos, terá comprado mais de 200 enxertos de pele entre novembro de 2011 e julho de 2013, que o hospital nunca recebeu. A polícia diz que estão a tentar perceber o que o homem pode ter feito com os excertos de pele, avaliados em 1 249 euros cada.

Os funcionários do hospital descobriram que os enxertos de pele estavam desaparecidos depois de uma auditoria financeira em janeiro, o que levou a uma investigação.

O advogado de Dudek afirma, no entanto, que o hospital ainda tem de provar que o seu cliente cometeu um crime e que o caso tem de ser apresentado como um crime civil.

Dudek foi libertado da prisão depois de pagar 10% da caução de sete mil euros.