O presidente das Filipinas é, normalmente, notícia pelo seu discurso implacável. Mas, ao que parece, também tem um lado divertido.

Na noite de sábado, durante um jantar de gala em Manila, surpreendeu os 19 líderes mundiais presentes com um dueto com a famosa cantora filipina Pilita Corrales.

A música, um sucesso romântico nas Filipinas, chama-se “Ikaw” (“Tu”) e tem um verso assim traduzido:

“Tu és a luz do meu mundo, metade do meu coração.”

Ora, como se não bastasse ver Rodrigo Duterte a cantar uma música romântica, o presidente filipino ainda disse, depois, que o tinha feito a pedido de Donald Trump.

“Senhoras e senhoras, eu cantei - sem convite - um dueto com Pilita Corrales sob as ordens do presidente dos Estados Unidos.”

Depois deste momento descontraído, Duterte e Trump encontraram-se, entretanto, à margem da cimeira da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Esta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos disse mesmo que tem “uma boa relação” com Duterte.

Recorde-se que a Human Rights Watch já qualificou o primeiro ano de mandato do presidente das Filipinas de “calamidade” para os direitos humanos, devido à ‘guerra’ contra a droga, à qual atribuiu 7.000 mortes.