Se é normal esperar-se um certo nível de escrutínio quando uma empresa quer contratar um estagiário, ou estagiária, é suposto que a escolha não seja baseada em biquínis. Por isso, correu mal a iniciativa da Temelín Power Station, uma empresa estatal checa de energia nuclear, que teve a ideia de submeter a seleção de uma futura colaboradora à apreciação dos seus seguidores no Facebook.

A central publicou fotografias de dez possíveis estagiárias no Facebook, na passada semana. De acordo com o post, entretanto eliminado, mas referido por vários meios de comunicação, como o jornal britânico The Independent, a candidata com maior número de "gostos" seria coroada “Miss Energy 2017”. E ganhava um estágio de duas semanas na empresa.

Pensamos que as fotografias são de bom gosto”, escreveu a empresa num comentário à publicação feita no Facebook, alvo de imensas críticas, acrescentando que "a combinação de beleza com um ambiente industrial dá um resultado interessante.”

Nas redes sociais, as pessoas começaram a manifestar a sua indignação. Dois dias depois, a central nuclear checa viu-se obrigada a pedir desculpas, assumindo que todas as dez candidatas iriam ter acesso aos estágios a que se tinham candidatado.

O objetivo da competição era promover a educação técnica", dizia a publicação. "Mas se a visão original suscitou dúvidas ou preocupações, pedimos desculpas.”