Um milionário britânico divorciou-se da mulher mas continuaram a viver juntos. Anos depois, já com um novo amor, ele pediu-lhe para ela continuar na casa, só que como «empregada doméstica». Segundo escreve o jornal inglês «The Telegraph», o homem não percebe porque ela reagiu mal e «foi agressiva».

O casal, cujos nomes não foram tornados públicos, oficializou a relação na década de 70 e só se divorciou nos anos 90. Apesar de separados continuaram a viver na mesma casa até à cerca de cinco anos. Foi então que o milionário arranjou um novo amor. A namorada e a filha mudaram-se para junto de si.

É nesta altura, que o milionário pede à ex-mulher para continuar a viver com ele, mas como «governanta» ou «empregada doméstica».

A ex-mulher considerou a oferta «humilhante e perturbadora» e decidiu apresentar queixa na justiça, exigindo parte da fortuna do ex-marido. O qual, afirmou em tribunal, não perceber porque esta reagiu mal e ficou «agressiva» com a proposta.

Esta quarta-feira, um magistrado de um tribunal superior britânico determinou que a mulher tem direito a metade da fortuna do marido, ou seja, sete milhões de euros. Para o magistrado o divórcio foi apenas «um papel» já que o casal continuou a viver na mesma casa durante mais dez anos.

Quando a mulher disse que ia recorrer à justiça, o empresário britânico, ameaçou «matar-se e fazer greve de fome». Mas nada impediu que o caso chegasse à justiça e a mulher ganhasse a causa.