Um aluno de 15 anos foi impedido de assistir às aulas no colégio onde estuda em Cornwall, no Reino Unido, depois de rapar a cabeça com o objetivo de arrecadar dinheiro para a investigação das doenças oncológicas no país. O Launceston College alegou que o rapaz, Taylor Jones, não se enquadrava mais nos padrões da escola.

De acordo com o jornal The Independent, o adolescente foi suspenso quatro dias depois do feriado da Páscoa. A instituição de ensino defendeu que, durante esse período, o cabelo cresceria um pouco a ponto de ficar “aceitável”.

Nick Jones, o pai de Taylor, comparou a decisão do estabelecimento de ensino a “uma ditadura”. A atitude do Launceston College foi ainda alvo de críticas nas redes sociais. Tal como Nick Jones, muitos estudantes e responsáveis consideraram que a norma da escola é "ditatorial", até porque o adolescente rapou a cabeça por uma boa causa. Taylor Jones vendeu o cabelo e deu início a um projeto para arrecadar doações para uma investigação sobre o cancro no Reino Unido.

"Ele [Taylor] estava a deixar crescer o cabelo, a ficar com um aspeto bastante rebelde, e muitas pessoas acharam que o estilo anterior era mais radical do que o atual, com a cabeça rapada", contou o pai do rapaz ao The Independent.