«Ele virava-se para mim e dizia 'Bem, sou eu. Costumava ser, mas morri e fui para o céu. Vi Deus e depois, provavelmente, Deus empurrou-me para baixo e eu era um bebé a quem tu chamaste de Luke'», contou a mãe da criança.