“Acho que o meu cabelo é especial porque o doei à caridade, mas não porque tenha um super poder ou assim. Estou tão feliz de ter doado o meu cabelo e angariado tanto dinheiro. Estou feliz por outras crianças poderem ter cabelo”, declarou, em entrevista ao Daily Mail.





“Eu acho que prefiro ter cabelo curto. Agora tenho uma obsessão com cabelo rapado. Foi uma grande mudança porque muitas pessoas chamavam-me rapariga e agora, com cabelo curto, vão dizer que sou um rapaz!”.

“Ele tinha uma ligação muito forte com o cabelo, as pessoas não compreendem o quão importante era para ele”, disse a mãe de Rahim, que afirmou estar orgulhosa da atitude do filho. “Há algumas pessoas que dizem ‘é apenas cabelo’, mas não é. Algumas crianças têm um ursinho ou uma manta e o Rahim tinha o cabelo. Se não fosse para angariar dinheiro, talvez ele tivesse pensado duas vezes”.


Depois de cortadas, as madeixas foram enviadas para a associação The Little Princess Trust, para ser transformado em perucas, que serão posteriormente doadas.