A China está a construir a maior antena do mundo para captar sinais de vida inteligente no espaço e o projeto está quase concluido. A estrutura côncava, com 500 metros de diâmetro localiza-se numa zona montanhosa remota no sudoeste do país.

O megaprojeto vai desalojar todos aqueles que vivem num raio de cinco quilómetros - mais de 9 mil habitantes da província de Guizhou – para garantir a eficácia do sistema, segundo avançou a agência Xinhua ao jornal britânico The Guardian.

A medida deverá render a cada um dos desalojados uma indeminização de mais de 1800 euros por parte do governo.

O maior radiotelescópio do mundo, chamado FAST, será capaz de captar sinais de rádio emitidas a milhões de anos-luz da terra.

Inspirado no radiotelescópio porto-riquenho Arecibo, FAST terá uma sensibilidade duas vezes maior e será entre cinco a 10 vezes mais rápido que o antecessor.

Os responsáveis pelo projeto acreditam que será possível observar um milhão de estrelas e planetas em busca de indícios de civilizações avançadas.

Estima-se que o custo do projeto ronde os 100 milhões de euros. A China começou a planeá-lo em 1994, quando começou a analisar a topografia nacional até decidir pela instalação nas montanhas de Wudang. Só em 2011, o megaprojeto começou a sair do papel.

Além da procura de sinais extraterrestres, terá outros objetivos científicos como a procurar energia escura e detetar e procurar pulsares.