Uma passageira australiana recorreu às redes sociais para arrasar a companhia aérea Qantas, depois de ter sido chamada de "menina" e não de "doutora" por uma assistente de bordo.

Quantas, o meu nome é Dr. O'Dwyer. O meu bilhete diz Dr. O'Dwyer. Não olhem para o meu bilhete, depois de olharem para mim, e decidam que se trata de um erro de impressão para me chamarem menina O'Dwyer. Não passei oito anos na universidade para ser chamada de menina", escreveu Siobhan O'Dwyer, australiana a trabalhar no Reino Unido.

 

O tweet da doutorada em Filosofia foi partilhado milhares de vezes, acendendo um debate entre homens e mulheres sobre os títulos profissionais. Muitos defenderam a australiana, mas também houve quem condenasse a mulher considerando tratar-se apenas de uma questão de ego.

Siobhan O'Dwyer voltou a recorrer ao Twitter para se explicar, considerando que fez apenas questão de "sublinhar aquele que foi um em milhares de episódios sexistas que as mulheres encontram todos os dias".

Não foi por causa do título, foi pelo facto de que isto não aconteceria se eu fosse um homem", argumentou.

 

Em comunicado, um porta-voz da Qantas, uma das melhores companhias aéreas do mundo, manifestou apenas "o imenso orgulho na tripulação que respeitosamente serve os clientes dia após dia e que desempenha um papel vital na segurança".