O Snapchat está a ser alvo de uma ação judicial insólita. A vítima de um acidente de viação acusa a rede social de ser a responsável pelo sinistro.

O homem, que ficou com danos cerebrais irreparáveis, decidiu, além da condutora que seguia no outro carro envolvido, processar também a rede social, alegando que o filtro da aplicação que regista a velocidade foi o "culpado" do acidente.

O choque entre os dois veículos aconteceu em setembro do ano passado, no estado norte-americano da Georgia, quando Christal McGee, de 18 anos, que seguia num Mercedes, partilhava uma foto de Snapchat.

A jovem teria partilhado uma fotografia quando seguia a 128 Km/h, outra a 145 Km/h e outra ainda a 160 Km/h quando acabou por embater contra o Mitsubishi de Wentworth Maynard, que acusa agora a app.

A caminho do hospital, a rapariga partilhou nova fotografia do momento, com a legenda “sortuda por estar viva”. O homem sofreu graves danos cerebrais, mas Christal escapou apenas com ferimentos ligeiros.

Em causa está agora o filtro “Speed”, que recompensa os utilizadores que publiquem fotos com a velocidade a que vão.

A empresa ainda não respondeu ao processo judicial, mas falou ao site BuzzFeed:

Nenhum snap é mais importante do que a segurança de alguém. Nós encorajamos ativamente a comunidade a utilizar o filtro “speed” enquanto conduzem, inclusive temos uma mensagem de aviso na app que diz “Não envie snaps enquanto conduz””.