Um homem de 28 anos, condenado por fraude, conseguiu sair de uma prisão no Reino Unido depois de ter enviado um email falso aos serviços prisionais, onde ordenava a sua própria libertação. O esquema utilizado por Neil Moore até parece saído de um filme de Hollywood, mas, na verdade, trata-se de um caso real que está a surpreender as autoridades britânicas.

A história remonta ao ano passado, mas só agora, que chegou aos tribunais, foi tornada pública.

Condenado por fraude, Moore estava preso no estabelecimento de Wandsworth. Dentro da prisão conseguiu arranjar um telemóvel com acesso à Internet e, através deste dispositivo, criou uma conta de email falsa com um domínio que parecia ligado aos serviços oficiais dos tribunais britânicos. Foi a partir dessa conta que se fez passar por um oficial da justiça e enviou um email onde exigia a sua libertação imediata.

Os serviços prisionais não só não suspeitaram de nada como depois de o terem libertado, a 10 de Março de 2014, só se aperceberam da manobra três dias depois, quando os procuradores ingleses foram ao estabelecimento entrevistar o preso e perceberam que Moore já lá não estava.

No entanto, e apesar de todo o esquema, foi o próprio Moore que acabou por se entregar às autoridades.

O caso, que chegou agora aos tribunais, foi descrito pelo juiz como um «crime engenhoso» e pelo procurador como um esquema de «extraordinária criatividade».

Mas esta não é a primeira vez que o britânico se consegue fazer passar por outra pessoa, sem levantar quaisquer suspeitas.

Moore estava preso por ter cometido vários crimes de fraude, conseguindo angariar ilegalmente mais de um milhão de euros. Fazia-se passar por responsáveis de vários bancos, convencendo várias organizações e empresas a dar-lhe largas quantias de dinheiro.