As autoridades polacas estão, desde 7 de julho, à procura de uma cobra com mais de cinco metros de comprimento. Mais de 80 profissionais de equipas de resgate animal, da polícia e dos bombeiros estão envolvidos nas buscas, contando com o apoio de drones e até de um cão farejador.

A procura pelo animal, que entretanto já foi batizado de Bertha, começou quando a organização Animal Rescue Poland (ARP) recebeu informações de que um pescador tinha encontrado a pele de uma cobra que media mais de dois metros no Rio Vístula, ao sul da capital Varsóvia. Quando as autoridades chegaram ao terreno, encontraram a pele de uma pitão, com mais de cinco metros de comprimento. De acordo com o Washington Post, pelo tamanho da pele, as autoridades calculam que o animal esteja perto de atingir os seis metros de comprimento.

Os especialistas já sabem que se trata de uma fêmea adulta e colocam as hipóteses de ter fugido ou sido abandonada por algum criador.

Após as mudas de pele, as cobras têm fome e tornam-se mais agressivas. Por isso, a ARP já divulgou um alerta para a população evitar caminhadas ou acampar nas margens do rio até o animal ser encontrado.

Entretanto, com a divulgação das imagens da pele nas redes sociais, começa a instalar-se o pânico entre a população.

As autoridades de Varsóvia libertaram o espaço aéreo para permitir a participação de drones nas buscas, assim como a de helicópteros privados. Foram fechadas estradas, detetives amadores já se juntaram às buscas e foi criada uma linha especial de recolha de informações. De Bertha ainda não há sinal, mas já foram encontradas três outras cobras exóticas na região.

As autoridades estão numa corrida contra o tempo para capturar Bertha, antes que chegue o inverno rigoroso da Polónia. Se, até lá não for encontrada, a pitão pode não resistir ao frio.