O vício é tal que Philipp Patrick já teve de pedir ajuda e a sua história virou notícia. Não consegue parar de comer cereais, todos os dias são 13 tigelas cheias e cerca de 140 colheres de chá de açúcar. A conversão em calorias é ainda mais surpreendente: mais de 6.900 por dia.

Ora, um adulto necessita em média de 2.000 calorias por dia e não deve consumir mais de 50 gramas de açúcares, o que equivale a sete pacotes. Patrick ingere mais do triplo.
 
Até aos 19 anos era saudável. Mas há três anos fora de casa, a qualidade da sua alimentação caiu brutalmente. A preguiça de fazer o jantar desembocou na facilidade de comer só um prato de cereais.
 
Agora que é pai de um bebé, despertou mais a sério para o problema e está a pedir ajuda para parar. O vício já lhe custou perder um emprego, porque começou a ficar sem força para trabalhar de pé o dia todo.
 
Já foi alertado que pode desenvolver um cancro ou uma doença cardíaca por causa dos seus hábitos alimentares. Com menos de 25 anos, este jovem Worcester, Inglaterra,  sabe que o risco de ter a vida comprometida multiplica-se de dia para dia.
 

“Costumava ser um rapaz bastante ativo, jogava futebol, fazia ciclismo e corrida, mas agora não tenho energia. Preciso de ter a minha vida de volta – posso morrer sem ela”.

 

Philipp e a mulher (Reprodução Facebook)



A sua vida sexual também foi afetada, a relação com a mulher conhece cada vez mais episódios de irritação, quase não saem de casa, porque assim que vê um saco de açúcar no supermercado ele quer logo comprá-lo. Entre açúcar e cereais, sente-se “muito feliz”. Sem eles, admite que fica “muito temperamental”.
 
Está consciente disso e quer "ser melhor" para o filho de meses e não um mau exemplo. Por isso, clama agora por socorro: “Preciso de ajuda para recuperar a minha vida”.