Um drone de apenas duzentos dólares (cerca de 186 euros) foi abatido por um míssil militar - Patriot - no valor de três milhões de dólares (2.79 mil euros), revelou o General David Perkins, do exército norte-americano, durante uma conferência da Associação do Exército dos EUA em Huntsville, Alabama.

O General Perkins revelou o incidente enquanto falava como abordar as ameaças com diferentes níveis de comando. 

Quando começamos a lidar com sistemas aéreos não-tripulados de inimigos, o primeiro instinto é que se trata de um problema de defesa aérea. É um problema de defesa aérea porque eles estão no ar e, de facto, tivemos um aliado muito próximo que teve de lidar com um adversário que estava a usar um drone pequeno e abateram-no com um míssil Patriot. Isso funcionou. Eles tinham-no, okay, e adoramos mísseis Patriot, e eu conheço pessoas que os constroem, os vendem e são ótimos. O problema é que nesta relação o Patriot ganhou. O drone que custou 200 dólares na Amazon não teve hipótese contra um Patriot. (...) Mas um único míssil pode custar entre 2.5 a 3.4 milhões de dólares".

Perkins lembrou que esta diferença de custos entre os dois objetos levanta a questão sobre o entendimento da tática em questão. 

Sem nunca revelar quem foi o aliado que abateu o drone, nem quando é que isso aconteceu, o general afirmou que o rácio de despesa económica neste tipo de incidentes e que se fosse o inimigo tinha descoberto uma forma de "desperdiçar mísseis".

Se eu fosse o inimigo, pensaria «bem, vou ao Ebay comprar vários drones de 300 euros e fazê-los gastar os mísseis Patriot por aí»", concluiu.