A família de uma paciente do Hospital do Trabalhador em Liuzhou, na China, ficou revoltada quando a instituição pediu à mulher que comprasse o bisturi para a sua cirurgia.

Momentos antes da operação, o médico pediu «gentilmente» à família que comprasse o instrumento, no valor de 145 euros - para a cirurgia no pulso. Preocupada, a família acabou por comprar o bisturi por conta própria para que a cirurgia se realizasse.

Tomado pela revolta, o genro da paciente escreveu uma carta num site, o que fez com que a mesma fosse partilhada mais de 16 mil vezes, segundo informa o «China News».

Depois de ser confrontado pela reação da comunicação social, o hospital respondeu que havia equipamento para fazer a cirurgia, mas que, com o bisturi indicado, o procedimento se torna «muito menos invasivo e o tempo de recuperação é reduzido».

O hospital referiu ainda que tinha sido a família da paciente a sugerir a compra do equipamento por sua conta.