Um homem esteve preso durante cinco meses por desconhecer que o valor da caução tinha sido reduzido de 25 mil para dois dólares, ou seja, de mais de 22 mil euros para cerca de 1,79.

O caso remonta a novembro de 2014 quando Aitabdel Salem, de 41 anos, foi apanhado em flagrante a tentar roubar numa loja em Nova Iorque. Então, o homem foi presente a tribunal e o juiz fixou o valor da caução em 25 mil dólares, equivalente a 22.422 euros.

Pouco tempo depois, a acusação não conseguiu sustentar a prova de roubo e, por esse motivo, o valor da caução baixou para dois dólares, pouco mais de 1,79 euros.

Contudo, o advogado de Salem não o informou de nada naquela altura e o homem acabou por cumprir cinco meses de prisão efetiva. Quando saiu, o norte-americano de origem argelina também não foi informado que deveria comparecer em tribunal para a leitura do acórdão.

O homem acabou por ser julgado à revelia e agora a caução voltou a subir. Para não ficar preso, Aitabdel Salem terá de pagar 30 mil dólares, quase 27 mil euros.

Os novos advogados tentam provar em tribunal que o homem não sabia de nada e não deve ser julgado nem condenado por desconhecer que tinha de ir a tribunal.

Não se sabe como o caso vai terminar, mas para já Salem está mesmo a cumprir pena por não ter como pagar os 30 mil dólares.

Ele está chocado e frustrado com o caso que considera ter sido mal conduzido pelo advogado. A caução de dois dólares poderia ter sido paga a qualquer momento”, defendeu Gleen Hardy, atual advogado do homem.