A Nestlé encarregou uma equipa de oito cientistas para desenvolver uma bebida para acelerar o metabolismo e queimar gordura da mesma forma que o exercício físico o faz.
 
A alimentícia, conhecida pelo chocolate KitKat ou pelas cápsulas Nespresso, enviou um grupo de cientistas para o Lago de Genebra, para trabalharem na realização o sonho de muita gente: exercício que vem numa garrafa.


 
Segundo a Bloomberg, o grupo de cientistas, que está a trabalhar para a empresa na Suíça, acredita que consegue atingir uma enzima chamada AMPK, que regula o metabolismo, e que pode ser estimulada por um composto denominado C13.
 
A equipa de oito cientistas está a fazer experiências com extratos de fruta e vegetais para conseguir perceber qual deles consegue agir como fator que desencadeie a mesma reação que esse composto.
 

«A enzima pode ajudar as pessoas que não toleram ou continuar a fazer exercício físico rigoroso. Em vez de 20 minutos de corrida ou 40 minutos de bicicleta, a enzima ajuda a aumentar o metabolismo com exercícios moderados, como uma caminhada rápida. Consegue-se obter efeitos semelhantes, mas com menos tensão», explicou Kei Sakamoto, cientista alimentar da Nestlé.

 
O desenvolvimento pode ajudar as pessoas em idade avançada, aquelas que têm doenças debilitantes como diabetes e aquelas que sofrem de obesidade.
 
Os testes em animais ainda não vão começar, mas o preço das ações da Nestlé subiram 0,3% com o aparecimento da notícia de que a empresa estava a investir numa área cobiçada por empresas farmacêuticas, confirmou Sakamoto à Bloomberg.
 

«A fronteira entre alimentos e a indústria farmacêutica vai diminuir nos próximos anos. As empresas com um portfólio diversificado de alimentos saudáveis vão emergir como vencedoras», disse Jean-Philippe Bertschy, analista do Banco Vontobel AG em Zurique.